Páginas

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A alvorada da Resistência




Depois de meses deixando apenas o lado "emo-xiita-feminista-mamãe-ninguém-me-quer" se expressar, venho heroicamente representar a espécie masculina nesse antro de pensamentos cruéis e tendenciosos. Como farei isso?, usando duas das melhores, mais brilhantes e velhas idéias da humanidade - que foram, logicamente, concebidas por homens -, a analogia e a lógica.
Deixo desde já expresso o intuito desse texto: provar, com exemplos práticos, que as mulheres não conhecem e não são capazes de usar essas duas ferramentas que, junto com a preguiça, são as digníssimas mães da evolução.
Tautologias à parte, as duas foram criadas em alguma era imemorável, pelo menos para mim, e são coisas que o homem carrega em seus genes e usa com mestria. Já a mulher, as conhece vagamente e as usam de maneira errônea e desprovida de todo o seu real significado. Elas (lógica e analogia) são, até hoje, ferramentas de ensino inquestionáveis. O processo é o mesmo desde épocas paleozóicas até a era Bill Gates. Acompanhem:

Tudo começou com um sábio, que, alem de sábio, era homem. Ele tinha uma barba que chega aos joelhos e cabelos grisalhos, estava sentado em sua pedra ao sol, na frente de sua caverna, apreciando e filosofando sobre o universo, quando, de repente, se vê na dura obrigação de passar suas observações e apontamentos às próximas gerações. Para isso, ele junta uma turma de gurís - gosto dessa palavra do vocabulário gaúcho - e começa a ensinar da maneira mais prática e certa do mundo, usando analogia:

- Meus pupilos, meninos e meninas dos meus olhos, hoje, irei contar sobre a guerra...- diz o sábio -...a guerra é algo triste e lucrativo, triste para quem morre e lucrativo para quem fornece os mantimentos: armas, comida, roupa e etc. É algo assim, como o casamento. No casamento, como na guerra, existem duas pessoas, ou povos, que se desconhecem e que querem algo em comum: paz, em sua caverna. Na guerra existem interesses divergentes, ouro, terras, petróleo. Já os do casamento, o futebol, a novela, o ouro e as terras... Em toda a guerra, como no casamento, existe o estopim, uma “ofensa", um problema político, uma mulher grega promiscua, e, no outro, a sogra e o cunhado, uma segunda mulher, ou muitos homens. Nos dois há batalhas com direito a sangue e baixas para todos os lados e, no final, o menos destruído vence. Mas, quem ganha mesmo, é o advogado, que nessa metáfora cheia de analogias é o equivalente aos fornecedores e sempre, sempre, pede uma comissãozinha para fazer o próprio trabalho, entenderam, classe?

Meninos: Sim!
Meninas: ... (cri-cri, cri-cri)

O motivo é simples: o cérebro feminino não trabalha como o masculino. Tem uma explicação chatíssima que posso dar, mas, prefiro ir direto aos exemplos preconceituosos e machistas de como a mulher não conhece a lógica, é mais divertido. Aqui vai um:
A mulher passeia no shopping sozinha (aqui já temos um erro de um homem não treinado, uma mulher com um cartão de crédito nunca está sozinha essa combinação é um perigo em potencial) ela entra em uma loja de roupas de gala e lê na vitrine “compre um leve dois – ao comprar qualquer item da loja leva outro de igual valor!” ela entra e compra. Ao chegar em casa, diz para o cônjuge:
- Amoor, olha só que ótimo negócio eu fiz, eu tava no shopping passeando, ah, você não sabe cada bebe lindo que tinha lá, quando vamos ter o nosso?...- três horas depois – aí eu vi a loja e comprei o vestido e ganhei outro.
- “Benzinho”, quantas pessoas você conhece que fazem quinze anos esse ano?
- Nenhum.
- Alguma festa, casamento, socialites...
- Nenhum, nenhum, nenhum...
- Então que cargas d’água você comprou a porra de um vestido longo e ganhou outro? É pras traças comerem bem? Só falta essa merda ser de seda, já sei, é pra elas, as traças. É pra elas comerem melhor que eu, só pode. Já me basta essa porra de gato comer whiskas e eu a merda da sua comida, da o seu empadão pra ele comer pra ver se come, come porra nenhuma! Acho até que nem você come aquela merda...

Sem lógica, sem idéias e sem argumentos. Mulheres, preparem-se, vão receber respostas a altura aos seus posts, jamais desistiremos. Somos fortes, somos invencíveis, somos inteligentes e o melhor, somos homens.

15 comentários:

Ariane Mazza disse...

Porra Vini, aprenda a separar paragrafos... não dá pra ler um blocão!!! me recuso,. rs

João Luiz disse...

Foi foda de ler. Mas complementando o fim ali. "Somos fortes, somos invencíveis, somos inteligentes, somos homens e o melhor, somos o vibrador que tem cartão de crédito." xD

João Luiz disse...

Que ir pra cozinha o que???
Homem come, a mulher é que fornece! Sacou?

Juh Ramos disse...

Eu acho que a namorada de alguém é péssima na cozinha, e ele não tem pulso forte o suficiente pra ir pro fogão e fazer melhor. Daí escreveu isso. e tenho dito.

Vinicius Gonçalves disse...

Ari, o publicador do blog não me faz o que mando! João, é mais que sexo, é biologico, homens pensam mulheres fazem algo que não entendo e Juh minha namorada cozinha bem, é uma metáfora que, provavelmente, bate certinho com vc...rsrs...e tenho dito!, haverá guerra e nós, homens, vamos vencer!...
HAUUAhuHauHUA...

João Luiz disse...

Pra mim sexo é biológico também.. ;)

E sabe, não tem muita coisa além de sexo entre homens e mulheres, não se pode esperar muito das mulheres. Esperar algum fruto intelectual delas seria o mesmo que acreditar que Papai Noel chega na Páscoa... :)

Ariane Mazza disse...

Ai Jesus, hahahhahaha

Juh Ramos disse...

João. Você me faz rir. ahahahaha. E Vini. Sinto dizer que nessa guerra eu já ganhei algumas batalhas. cof cof. AHAHAHAH

João Luiz disse...

Agoooora sim dá pra ler de boa... =]

Kakau disse...

Esse papo de homem X mulher sempre me faz rir. Principalmente porque eles acreditam mesmo que são os vencedores.

João Luiz disse...

Mulher só é necessária pra 1 coisa.
Ou melhor, 2, cozinhar também.

João Luiz disse...

E mesmo nessas 2 coisas elas podem ser substituídas.
Tá certo que a troca em uma fica meia boca e dá pêlo nas mãos.
Mas os homens podem muito bem comprar comida em um restaurante de algum homem-moça por ae..

Juh Ramos disse...

Não basta ser homem-moça, o joão ainda é machista.

João Luiz disse...

Palavra errada Juh, o correto seria "o João é realista." =]

Renata disse...

Vi,
Pra amanhã eu quero bife a milanesa ok?