Páginas

terça-feira, 29 de junho de 2010

Joguinhos Amorosos

Todo mundo gosta de um joguinho amoroso. É fato. Quando você quer apimentar a relação, parte pros joguinhos, o que, aliás, pode ser muito bom! Ah! Vai falar que não, hein!
O problema é quando esses (malditos) jogos se encaixam na parte da conquista... Ô coisa chata! Sabe por que? Porque quando é muito fácil é porque é muito fácil e quando é muito difícil é porque é muito difícil. Mas o fácil não tem graça, não teve a parte da conquista, as manhas, charminho, os olhares... É a parte gostosa, confesso, difícil mesmo é quando isso se prolonga por tempo além do suportável e se torna um jogo de futebol que vai parar nos pênaltis. Desses jogos de copa mesmo, onde a prorrogação não termina com gol de ouro! Um saco!
Explicarei: você conhece uma pessoa, joga um charme, ela balança, mas não cai logo de primeira. Rolam umas saídas, umas trocas de olhares e nenhum dos dois dá o braço a torcer pra falar que tá rolando uma paixão. Nunca poderei explicar o porque disso, mas é o que acontece.
Aí começam os joguinhos, claro, porque um dia alguém vai ter que falar e sempre tem o lance de um sempre cair mais que o outro, mas logo voltam a si com o pensamento de que não podem se deixar levar. E aí a coisa toda fica somente nos joguinhos e fica tão chato que quando a outra pessoa resolve (ATÉ QUE ENFIM) falar que está afim, você não quer mais nada com ela. Por que? PORQUE PERDEU A GRAÇA, GENTE!! Fala sério! Quem gosta de jogar eternamente? NINGUÉM!!!
Exposto o fato e a minha indignação diante de tantas histórias ouvidas e vividas, peço encarecidamente à vocês: está afim de alguém? Fale logo! Não faça tipo! Não está? Nem dê bola! Melhor a resposta direta que um enrolação sem fim!
Jogo é bom, mas tem prazo pra terminar.

3 comentários:

Aline Viana disse...

rsrsrs Nossa conversa virou um texto bem bacana, hein?

Meninos, quem os entende? rsrsrs

Mas tenho que admitir, sou super cagona, perguntar, jamais, rsrsrs

Beijos
Aline

Ju disse...

Conheço um caso assim...ele demorou uma vida pra assumir...só que qdo ele resolveu fazer isso, eu já estava inteiramente em outro mundo.
cansei de esperar!
ele teve seu grau de importância, talvez se ele não tivesse surgido e não tivesse me desarmado, hoje eu não teria me aberto pro que de verdade importa, e importará!
é complexo...rsrs mas, pra mim tem feito sentido!

beijus

Kari Gabriel disse...

ah, ju! eu entendi, pode ter certeza! é isso aí mesmo... nos desarmar para q o próximo seja melhor. =]