Páginas

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

E que carona


A história que tenho pra contar não é bem de um homem moça, e acho que por isso que está tão difícil de sair do papel. Andava tão acostumada com a “mocitude” dos homens, que me esqueci que alguns fogem à regra.

Semana passada encontrei com uns amigos das antigas, tava tudo muito bom, relembramos o passado, rimos do presente e ficamos com medo do futuro. Os antigos casais da época se reúnem e eu fico na minha carência permanente. Não poderia ser mais normal.

Foi só perto da hora de ir embora que o Sr. Querumacarona se manifestou. Papo vai, papo vem e sai os dizeres: - Sabe Ari, eu não queria ficar com ela! Sei lá, tava afim de outra pessoa, mas ela não desgrudava. Você acha que essa pessoa ficaria comigo mesmo assim?

Fazia tempo que não me surpreendia assim, até dez minutos antes da carona éramos “irmãos”. Isso me fez ver que o mundo não está totalmente perdido assim, ufa. Ainda temos uma chance e nem adianta que vou passar o telefone do rapaz!

4 comentários:

Juh Ramos disse...

Ainda existe salvação. Ufa!

Kakau disse...

Nunca perdi a esperança. E é bom quando alguém aumenta ela um pouco ;}

Brunold disse...

viu?! realmente ainda há esperança, é verdade que em número pequeno, mas ainda há! rs acho q vcs tao eh procurando no lugar errado hein, a quantidade de motivo pra ter esperança já é pequena é verdade hahaha mas vcs nao colaboram mto hahahaha

João Luiz disse...

Nossa, um post!!! O.o
Pensei que o blog tinha morrido... *.*